» Welcome Guest
[ Log In :: Register :: Search :: Help ]

Click here to add a report from another organization.
new topic
Organization: Associação Projeto Não Violência Brasil
The following information may be cited or quoted as long as the source is accurately mentioned and the words are not taken out of context.
Posted: Mar. 15 2005,15:43 If you wrote this report, you will find a button here that you may click
in order to make changes in the report.

PROGRESS: Has your organization seen progress toward a culture of peace and nonviolence in your domain of action and in your constituency during the first half of the Decade?

BELOW: Translation to the Spanish kindly provided by Dra. María Agustina Monti, Buenos Aires. E-mail: amonti@tgzlaw.com.ar


Nossa organização percebe que, no campo da Educação, o trabalho com valores voltados para a Cultura da Paz tem sido mais divulgado, melhor aceito e implementado com maior frequência. Contudo, a tendência tem sido trabalhar no nível da informação e não necessariamente da vivência, o que torna a prática da não-violência e a mudança mais lentas.
Avaliamos que nossa organização, ao longo de seus 5 anos de atividade, apresentou progressos significativos que contribuem para o fortalecimento de uma Cultura da Paz:
- Aumentou o número de escolas envolvidas e, consequentemente, o número de jovens e adultos sensibilizados e que colocam em prática atitudes de não-violência e resolução pacífica de conflitos no seu cotidiano
- Aperfeiçoou sua metodologia de trabalho, passando a construir de forma coletiva com a comunidade escolar o plano de trabalho (para 3 anos, a serem seguidos por um trabalho de "manutenção" e suporte), gerando como resultados positivos dessa mudança: uma relação de co-responsabilidade e interdependência entre nossas escolas parceiras e nossa organização (PNV); resultados individuais (depoimentos de mudanças pessoais) e na instituição (depoimentos de mudanças no clima e funcionamento das escolas); e a possibilidade real de auto-sustentabilidade do PNV nas escolas
- Desenvolveu materiais didáticos para dar suporte ao trabalho desenvolvido nas escolas (programas) e divulgar as idéias da não-violência (livro Pratique a Paz)

------

ESPAÑOL

Nuestra organización percibe que en el campo de la educación, el trabajo orientado a los valores de la cultura de paz han sido más divulgados, más acertados e implementados con mayor frecuencia. A pesar de ello la tendencia ha sido trabajar a nivel de información y no de la experiencia, lo que torna la práctica de la no violencia y los cambios más lentos.

Nuestra organización a lo largo de sus 5 años de actividad, mostró progresos significativos que contribuyen al fortalecimiento de la cultura de la paz

-Aumentó el número de escuela comprometidas y consecuentemente el número de jóvenes y adultos sensibilizados que ponen en práctica actitudes de no violencia y resoluciones pacíficas de conflictos en el día a día
- Perfeccionó la metodología de trabajo, contribuyendo en forma colectiva con la comunidad escolar en el plano del trabajo (para 3 años, seguidos de un trabajo de manutención y soporte), generando como resultados positivos de ese cambio: una relación de co-responsabilidad e interdependencia de nuestras escuelas compañeras y de nuestra organización (PNV); resultados individuales (cambios individuales) y en la institución (cambios en el clima y funcionamiento de las escuelas); y la posibilidad real del PNV en las escuelas de autosustentarse
- Implementó materiales didácticos para dar soporte al trabajo realizado en las escuelas (programas) y promovió las ideas de la no-violencia (libro Pratique a Paz)

OBSTACLES: What are the most important obstacles that have prevented progress?

- necessidade de manter uma equipe técnica pequena (5 profissionais trabalhando nas escolas e desenvolvendo programas e projetos), em função da dificuldade de arrecadação de recursos --> dificulta expansão
- inexistência de indicadores oficiais das violências nas escolas como parâmetro para criação de instrumentos de avaliação de resultado e impacto do trabalho de nossa organização --> dificulta avaliação de resultados e impacto
- cultura ainda presente nas escolas de que o papel da escola é transmitir conteúdo e não educar em relacionamentos e valores humanos -->cria focos de resistência nas escolas

------

ESPAÑOL

- necesidad de mantener un equipo técnico pequeño (5 profesionales trabajando en las escuelas y llevando a cabo programas y proyectos),en función de la dificultad de recaudación de recursos --> dificultad de expansión
- inexistencia de indicadores oficiales de violencia en las escuelas como parámetros para crear instrumentos para calcular el resultado y el impacto del trabajo de nuestra organización --> dificulta el cálculo de resultados y del impacto
- cultura todavía presente en las escuelas de que el papel de ésta es transmitir los contenidos y no educar en relación a los valores humanos -->crea focos de resistencia en las escuelas

ACTIONS: What actions have been undertaken by your organization to promote a culture of peace and nonviolence during the first half of the Decade?

EM 2000
- Estabelecimento de parceria com 2 escolas da rede estadual de Curitiba - PR (Ermelino de Leão; Elias Abrahão)
- Apresentações para aproximadamente 2 mil alunos das 2 escolas, convidando-os a participar de um movimento para reduzir a violência
- Implementação do Programa Embaixadores da Não Violência junto a 40 adolescentes da EE Ermelino de Leão, trabalhando noções para mediação pacífica de conflitos
- Capacitação para 37 professores da EE Ermilino de Leão, trabalhando noções para mediação pacífica de conflitos
EM 2001
- Manutenção da parceria com as 2 escolas parceiras de 2000
- Estabelecimento de parceria com 5 novas escolas da rede estadual de Curitiba - PR (Jayme Canet; Maria Montessori; Prof. José Guimarães; Instituto Politécnico Estadual; Prof. Victor do Amaral)
- Apresentações para 4.726 alunos das 5 novas escolas, convidando-os a participar de um movimento para reduzir a violência
- Apresentações sobre o trabalho do projeto não-violência nas escolas para 162 pais das 5 novas escolas
- Apresentações sobre o trabalho do projeto não-violência nas escolas para 217 profissionais das 5 novas escolas
- Implementação do Programa Embaixadores da Não Violência junto a 96 adolescentes das escolas parceiras, trabalhando os seguintes temas: motivar os alunos a engajar-se no PNV; regras para trabalhar em grupo; conceito e tipos de violência; conceito de não-violência; missão do PNV; conceito e estilos para lidar com conflitos; como lidar com sentimentos e emoções; facilitadores e dificultadores da comunicação; resolução pacífica de conflitos; ter bom humor para lidar com problemas; diferenças culturais; pressão da turma/bullying; cooperação e competição; "eu posso fazer a diferença"
- Implementação do Programa Grupos de Aprendizagem junto a 215 profissionais das escolas parceiras, trabalhando os seguintes temas: paralisia, fuga, ataque e enfrentamento como reações possíveis diante de ameaças; conceito e características de ameaça; conflito; sentimentos e emoções; comunicação; relação entre todos esses temas e o conceito de violência e não-violência
- Formação de grupos voluntários de pais (27 participantes de 3 das escolas parceiras) para discussão de temas relacionados à violência e não-violência nos relacionamentos interpessoais



EM 2002
- Manutenção da parceria com as 7 escolas parceiras de 2000 e 2001
- Estabelecimento de parceria com 1 nova escola da rede estadual de Curitiba - PR (Pilar Maturana)
- Estabelecimento de parceria com o Projeto Piá - Vila das Torres para implementação do Programa Embaixadores da Não Violência com 100 jovens de 8 a 13 anos
- Apresentações para 366 alunos da nova escola, convidando-os a participar do projeto não-violência na escola
- Apresentações sobre o trabalho do projeto não-violência nas escolas para 196 pais de 3 das escolas parceiras
- Implementação do Programa Embaixadores da Não Violência junto a 138 adolescentes das  8 escolas parceiras, nos mesmos moldes de 2001
- Implementação do Programa Grupos de Aprendizagem junto a 143 profissionais das 8 escolas parceiras, trabalhando os seguintes temas: paralisia, fuga, ataque e enfrentamento como reações possíveis diante de ameaças; conceito e características de ameaça; conflito; sentimentos e emoções; comunicação; relação entre todos esses temas e o conceito de violência e não-violência; o processo de aprendizagem e o desenvolvimento de competências; a inter-relação entre percepções, sentimentos e ações; identidade e seus processos de formação; processos de mudança
- Implementação do Programa Qualidade de Vida junto a 185 pais das 8 escolas parceiras, trabalhando os seguintes temas: regras e limites; adolescência; alimentação saudável; transtornos alimentares; relações interpessoais; empregabilidade; preparação para o parto; entre outros.



EM 2003
- Manutenção da parceria com 3 das escolas parceiras de 2001 e 2002
- Estabelecimento de parceria com 7 novas escolas da rede estadual de Curitiba - PR (Maria Balbina Costa Dias; Euzébio da Mota; Emiliano Perneta; Amâncio Moro; Gelvira Corrêa Pacheco; Maria Pereira Martins; Santa Gemma Galgani)
- Continuidade da parceria com o Projeto Piá - Vila das Torres para implementação do Programa Embaixadores da Não Violência com 100 jovens de 8 a 13 anos
- Apresentações para 2509 alunos das 5 novas escolas, convidando-os a participar do projeto não-violência na escola
- Apresentação de uma peça teatral sobre violência e não-violência em parceira com o grupo de teatro da Terceira Idade do SENAC/PR, para aproximadamente 2370 alunos das escolas parceiras
- Apresentações sobre o trabalho do projeto não-violência para 160 profissionais  nas 5 novas escolas
- Implementação do Programa Embaixadores da Não Violência junto a 131 adolescentes das  8 escolas parceiras, nos mesmos moldes de 2001 e 2002
- Implementação do Programa Grupos de Aprendizagem junto a 141 profissionais das 8 escolas parceiras, nos mesmos moldes de 2002
- Definição de um plano de ação em prol da paz, elaborado por 44 professores de 3 das escolas parceiras, como forma de garantir a sustentabilidade do projeto nessas escolas, após o término do prazo da parceria com o PNV
- Implementação do Programa Qualidade de Vida junto a 174 pais das 8 escolas parceiras, trabalhando os seguintes temas: regras e limites; adolescência; alimentação saudável; transtornos alimentares; relações interpessoais; empregabilidade; preparação para o parto; entre outros.
- Início da nova metodologia de trabalho - Programa Escola que Faz pela Paz - em 2 das novas escolas parceiras (Maria Pereira Martins; Santa Gemma Galgani), com apresentações para 74 profissionais e 28 pais; realização de oficinas para análise diagnóstica e definição do planejamento específico de cada escola para trabalhar a cultura da Paz, ao longo de 3 anos de parceria com o PNV
EM 2004
- Manutenção da parceria com 8 das escolas parceiras de 2002 e 2003
- Estabelecimento de parceria com 3 novas escolas da rede estadual de Curitiba - PR (Aline Picheth; Dona Branca do Nascimento Miranda; Cecília Meireles)
- Implementação do Programa Escola que Faz pela Paz nas 8 escolas parceiras, envolvendo 455 profissionais e aproximadamente 10.310 alunos (OBS: o Programa Escola que Faz pela Paz tem como objetivo dar suporte técnico às escolas para a criação, implementação e desenvolvimento de um projeto singular voltado para o fortalecimento de uma cultura de Paz em seu cotidiano; a metodologia adotada busca a co-responsabilidade e cooperação entre a comunidade escolar e o PNV como forma de promover o sucesso e a sustentabilidade do programa na escola)
- Realização do 1o e 2o Encontros entre as Escolas Parceiras do PNV
- Apresentação do PNV no Congresso Ibero Americano sobre Violências nas Escolas (Brasília)
- Realização do Concurso de Redação sobre o tema "Conversar para Resolver", com a participação dos alunos de 5 das escolas parceiras
EM 2005
- Manutenção da parceria com 9 das escolas parceiras de 2002, 2003 e 2004
- Estabelecimento de parceria com 3 novas escolas da rede estadual de Curitiba - PR (Moradias Monteiro Lobato; Ernani Vidal; Hildebrando de Araújo) e 1 escola da rede municipal (Nynpha Peplow)
- Implementação do Programa Escola que Faz pela Paz nas 13 escolas parceiras, envolvendo (?) profissionais e (?) alunos (OBS: estamos fazendo o levantamento dos dados atualizados das escolas)
- Implementação do Projeto Tribos da Paz, junto a 80 jovens de 2 escolas parceiras (Pilar Maturana e Maria Pereira Martins), selecionado no Concurso Nacional Juventude e Paz, promovido pela CESE (Coordenadoria Ecumênica de Serviços, Salvador - BA)
- Distribuição do livro Pratique a Paz - dicas para contribuir com a construção de uma Cultura de Paz, desenvolvido pela organização, para os alunos das escolas parceiras, mantenedores, paceiros e público em geral


ADVICE: What advice would you like to give to the Secretary-General and the General Assembly to promote a culture of peace and nonviolence during the second half of the Decade?


PARTNERSHIPS: What partnerships and networks does your organization participate in, thus strengthening the global movement for a culture of peace?

- Non Violence Project Foundation, Suíça (www.nvall.org)
- Cátedra da Cultura de Paz/UNESCO e Universidade Federal do Paraná

PLANS: What new engagements are planned by your organization to promote a culture of peace and nonviolence in the second half of the Decade (2005-2010)?

- Aumento do número de escolas parceiras das redes públicas estadual (do Paraná) e municipal (Curitiba) no Programa Escola que Faz pela Paz.
- Criação de novos materiais didáticos
- Desenvolvimento e implementação de novos programas
- Possibilidade de expansão do trabalho da organização para outras cidades e/ou estados

Postal address of organization

Av. João Gualberto, 1673 - sala 104
80.03-001     Juvevê
Curitiba - PR     Brasil

E-mail address of organization

projeto@naoviolencia.org.br

Website address of organization

www.naoviolencia.org.br

Highest priority action domain of a culture of peace

Educação para uma cultura de paz

Second priority action domain of a culture of peace

Compreensão, tolerância e solidariedade

Highest priority country of action (or international)

Brasil

Second priority country of action (or international)

Back to top
Organization: Associação Projeto Não Violência Brasil

Click here to add a report from another organization.
new topic